Poesia

De pressa em pressa

Apressadamente, ele anda para lá e para cá
Sempre ocupado, atrasado, cansado

Tão apressado, que quase não sinto sua presença
E quando percebo, lá se vai novamente, quase correndo.

Mas quanta pressa! Por que olha no relógio a todo o momento?

Não sabes que a flor precisa de tempo para desabrochar? Que o bebê precisa de tempo para enfrentar o mundo e a semente para dar o fruto?

Tanta pressa que não se lembra como é o brilho da lua, o gosto da risada e o aconchego de sentar-se debaixo de uma árvore.

Tanta pressa que nem viu que o tempo mudou, os filhos cresceram, o futuro chegou.

De pressa em pressa, a vida passou e tão pouco se viveu…

[Sem pressa, leia mais clicando aqui]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s