Poesia

Que haja luz!

Assim como no princípio, ouviu-se: Haja Luz,
E houve luz!

Que haja luz hoje,
Apesar da dor de ontem,
Apesar do incerto amanhã.

Que haja luz no coração,
eliminando todo desamor.

Que haja luz no caminho, 
expulsando a sombra do medo.

Que haja luz no entendimento, 
para esclarecer as muitas dúvidas.

Que haja luz no sentimento,
para reconhecer o amor verdadeiro.

Que haja luz em cada decisão, 
dando coragem para o próximo passo.

Que haja luz nas palavras, 
mesmo quando elas forem difíceis.

Que haja luz nas ações,
Mesmo quando elas forem de sacrifício. 

Que haja luz nos sonhos,
Trazendo esperança apesar das impossibilidades.

E que haja luz aqui dentro,
mesmo quando lá fora pareça que são as trevas que predominam.

Poesia

A Resposta

Por onde eu olho, há mistério.
Contemplando as estrelas no infinito,
Ouvindo as batidas rápidas de um coração tão pequenininho,
Ou admirando a beleza de um pôr do sol. 
Por mais que já tenha provado a fé, há dúvidas.
Será que todo esse amor é mesmo para mim?
Que apesar de toda a tempestade, posso confiar?
Que em meio a todo o choro, a alegria virá com o amanhecer? 
Ainda que tenha encontrado muitas respostas, há perguntas.
Por que escolheste nos amar?
Como pudeste buscar quem rejeitou tamanho amor?
Como preferiste entregar Seu Filho em nome desse amor?
Mistérios que não posso desvendar,
Dúvidas que provam minha fé e esperança,
Respostas que nem sempre consigo compreender…  
Mas sei que chegará o dia que nada disso importará.
Estarei vivendo num lugar onde as perguntas não terão mais nenhum sentido
E com Aquele que sempre foi a única resposta necessária.

Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus
I Coríntios 2:5


 Música: Estou a Procurar – André Valadão

Poesia

Clamor de um coração

Durante toda a noite eu chorei.
Chorei de dor de tanto te querer, de medo de nunca te ter.

Ah, como eu clamo por uma chance de chorar em seus ombros. Mas eu não a tenho.
Eu peço por uma chance de ser consolada pelos seus braços. Mas não sou atendida.

Por que você não está aqui comigo?
Por que você não me dá seu coração?
Por que você não ouve o meu clamor?
Respostas que eu desconheço.

E será que você não vê? Será que você não percebe?
Ou será que sou eu que tenho disfarçado tão bem a dor que me assola?

Eu clamo para que você, só mais uma vez, olhe nos meus olhos.
Veja! É por você que eu sorrio. É por você que eu choro.

Durante quantas outras noites chorarei?
Durante quantos outros dias esperarei?

Ah, como anseio por um novo dia. Como desejo pelos raios do sol.
Será que eles poderão secar minhas lágrimas? Será que poderão confortar-me?
Será que poderão trazer-te para mim?

Respostas que eu desconheço. Ou temo ouvir.