Oração

Oração pelas crianças

As crianças estão aqui.
E quando estão,
O meu dia fica mais colorido,
E a minha alma mais leve.

As crianças estão aqui,
E a bagunça delas dá ritmo ao meu tempo,
Expande o meu espaço,
Move meu passos – para a criança que eu fui, para o adulto que quero ser.

É aqui, com elas, que minha alma sorri.
Em cada gargalhada alta,
A cada história imaginada,
Em cada descoberta que fazem seus olhos brilharem.

As crianças estão aqui,
E ao olhar para elas, vejo todas as outras.
E levanto minha voz Àquele que disse:
“Deixai os pequeninos virem até mim”.

Oro para que tenham acesso à educação, à saúde, ao lar, ao pão.
Que cresçam em um ambiente seguro, onde possam se desenvolver em todas suas capacidades.
Que possam ser livres para brincar, imaginar e sonhar.
Que sejam inspiradas, instigadas, encorajadas.
Que tenham suas feridas e traumas curados.
Que ao crescerem, possam manter a curiosidade, a empatia, o destemor, a alegria, a espontaneidade, o brilho, os sonhos que possuem.

Hoje, oro para que nossas crianças sejam cuidadas, protegidas, respeitadas e amadas. Todo dia.

Amém.

Poesia

Dores ocultas

Ele sorria,
Contando história,
Empolgado,
Descontraído.

O que ninguém via
Era o poema inacabado,
O cansaço de ser,
O suspiro de esgotado.

O que ninguém via 
Era a mensagem que deixou para depois
O desejo que ficou para depois
O compromisso que adiou – outra vez.

Sua voz cada vez mais alta, 
Tentando calar o grito interno,
O pensamento acelerado,
O choro de dentro.

Sua voz cada vez mais baixa,
Palavras minguadas,
Sussurro…
Alguém consegue ouvir?

Setembro passou,
E ele seguiu
Com suas dores ocultas, disfarçadas…
Alguém o alcançará para segurar sua mão?

Devocional

Inquietude

No vai e vem dos pensamentos,
das perguntas que faço,
daquilo que não faz sentido,
dos sonhos ainda não realizados,
dos planos frustrados,
dos receios que se apresentam,
das possibilidades que escapam,
meu coração se inquieta.

E de tão confuso e agitado,
quase não vejo:
a saída,
o futuro,
a mão que se estende,
a esperança que acena.

Mas é neste lugar de inquietude,
que ouço Sua voz ainda mais forte a me dizer:
“Descanse, 
Estou aqui com você”.

Meu coração ouve,
E eu me aquieto.