Poesia

Quem eu sou?

Quem eu sou?

O que minhas ações provam? Nem sempre, pois muitas vezes elas são apenas sombras do que meu coração deseja. 
O que o espelho reflete? Talvez, mas não acredito que as aparências conseguiriam revelar toda minha essência
O que os outros dizem que sou? Às vezes, afinal isso depende de quem diz.

Mas quem eu sou?

Sou um conjunto de perguntas sem respostas.
Sou um emaranhado que reúne medos, sonhos e novas perguntas. 
Sou o que penso, o que falo, o que faço, o que desejo, o que sinto.

Hoje já não sou quem eu era ontem. 
Amanhã não serei quem eu sou hoje.

Pois sou sempre assim:
Mudando.
Fugindo um pouco do eu que não entende, do eu que não se contenta.
Crescendo.
Tentando encontrar o eu que deveria ser. 

Poesia

Longa espera

Revolta sem sentido
Tristeza que não diz o motivo
Um mau humor incontrolável
Um desprazer desagradável

Difícil disfarçar, impossível explicar
Quem entenderá?

O sorriso que já não se vê.
Terá se perdido entre as lágrimas?

A esperança que já não se vê.
Será que foi embora junto com os sonhos?

Ah, como o choro da noite tem demorado a passar.
Ah, como a alegria tem demorado a romper com o amanhecer.

Longa espera para ver esse dia chegar
Espera que aumenta a angústia,
Que cria tantas outras dúvidas,
Que prova a paciência, prova a fé.