Poesia

Um Amigo na Tempestade


Veio a forte tempestade, 
E o grande barco fez que ia virar.
\”O que está acontecendo?\”
Gritamos uns aos outros,
Mas ninguém sabia o que causava 
Tal fúria no mar.

Foi então que a Jonas descobrimos,
No porão a dormir, quase a sonhar.
Sonolento, declarou-nos
\”Temo ao Deus vivo,
Lancem-me para fora do navio
Que a tempestade certamente cessará\”.

\”Ah, mas isso nós não queremos!\”
Choramos, clamamos, 
Tantas outras coisas 
Ao mar lançamos,
\”Mas você que é gente, 
De você não nos livraremos\”.

Mas com nossas forças já não mais podemos
\”Isso faz parte de um plano maior\”, 
Por fim, entendemos.
Com o coração apertado
Jonas ao mar entregamos
E nossa viagem continuamos.

Mas até hoje, quando desse dia me lembro, 
Assim Penso: mesmo diante da dificuldade,
Não importa o tamanho da tempestade,
Permaneço amigo, luto até o fim
Não lanço para fora do barco ou da vida,
O outro que tanto precisa de mim. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s