Poesia

Por causa do TUDO

E a gente vai dando conta, segurando as broncas, fingindo que não vê, que não ouve, respirando fundo, contando até 10, até 50, haja número, erguendo a cabeça,  engolindo o choro, dançando uma música barulhenta e sem ritmo, buscando algum sentido, correndo contra o tempo, perdendo o precioso tempo, ganhando culpa, não se dando ao trabalho de nenhuma desculpa, ignorando as palavras ditas (e malditas), relevando os olhares tortos, desviando da fúria, do ataque, aguentando a dor, o cansaço, a verdade, jogando um jogo com regras que ninguém entende, sem pausa, sem reprise, sem torcida. 

E apesar de tudo (ou por causa do TUDO que um dia virá), a gente não desiste e segue em frente, dando conta, segurando as broncas…

Poesia

Tempestade

Nesse caminho da vida, muitas vezes sou surpreendida
São momentos pelos quais não esperava,
Me fazendo chorar, me levando a dúvidas
Decepções, dores e despedidas que
nem sequer imaginava

Me dizem para ter calma, pois a tempestade sempre passa
Mas eles não percebem que quando passar levará consigo quase todas as minhas forças?
Que desfará sonhos e deixará feridas abertas?
Que nem haverá mais lágrimas para derramar?

Tempestade violenta que demora a passar…

Será que quando o céu clarear haverá um arco-íris?
Será que a estrada ficará limpa e eu conseguirei recomeçar?
E será que quando a próxima surgir estarei mais forte para enfrentá-la?

Apenas sei que esta é só mais uma tempestade que encontro no caminho da vida…