Poesia

Aquela dor

Eu pensei que chorar pudesse aliviar a dor.
Mas o que fazer se não há ninguém por perto para me abraçar
e dizer que tudo ficará bem?
Ou, timidamente, tentar enxugar as lágrimas?


Eu pensei que falar pudesse minimizar a dor.
Mas o que fazer se não há ninguém por perto para me ouvir?
Ou para me dizer que mesmo que a dor não vá embora estará comigo
?

Eu pensei que rir pudesse afugentar a dor.
Mas o que fazer se não há ninguém por perto para me distrair
?
Para me contar outras histórias, aquelas com final feliz
?

Eu pensei que seguir em frente pudesse fazer com que a dor ficasse para trás.
Mas o que fazer se não há ninguém por perto para me acompanhar?    
Ou para me indicar um outro caminho?

Penso que só me resta enfrentá-la.
Não sozinha.
Mas com Aquele que me abraça, mesmo quando não consigo senti-l0.
Me ouve, mesmo quando não falo.
Enxuga cada lágrima, até aquelas que não caíram.
E que, com seu infinito amor, me dá esperança e razão de continuar. 

Sim, a enfrentarei com A
quele que conhece toda a minha dor
E é minha eterna companhia.

Poesia

Clamor de um coração

Durante toda a noite eu chorei.
Chorei de dor de tanto te querer, de medo de nunca te ter.

Ah, como eu clamo por uma chance de chorar em seus ombros. Mas eu não a tenho.
Eu peço por uma chance de ser consolada pelos seus braços. Mas não sou atendida.

Por que você não está aqui comigo?
Por que você não me dá seu coração?
Por que você não ouve o meu clamor?
Respostas que eu desconheço.

E será que você não vê? Será que você não percebe?
Ou será que sou eu que tenho disfarçado tão bem a dor que me assola?

Eu clamo para que você, só mais uma vez, olhe nos meus olhos.
Veja! É por você que eu sorrio. É por você que eu choro.

Durante quantas outras noites chorarei?
Durante quantos outros dias esperarei?

Ah, como anseio por um novo dia. Como desejo pelos raios do sol.
Será que eles poderão secar minhas lágrimas? Será que poderão confortar-me?
Será que poderão trazer-te para mim?

Respostas que eu desconheço. Ou temo ouvir.