Poesia

As coisas que perdi

Já perdi tanta coisa
Que fico a pensar: será que existe um jeito de não se apegar?!
Já perdi gente tão querida,
Que quase penso: teria sido melhor a ninguém amar?!

Perdi a gatinha (que tanto amava),
a companhia (que tanto prezava),
a esperança (que tanto precisava).

Perdi a coragem (diante de uma oportunidade),
o sono (por muito me preocupar),
o sonho (por pouco tentar).

Perdi a chance de rir (diante da bobeira),
a calma (por causa de besteira),
o sorriso (pra dar lugar a choradeira).

Perdi a paciência, a confiança,
muitas lembranças, memórias,
a noção do tempo, a hora,
a chance de ficar calada, a boa palavra,
a consideração,
a boa intenção.

Perdi a saída,
o caminho,
a próxima parada,
o tempo, o presente,
o amigo, o contato,
o amor, o amado.

E de tanto perder, já nem sei mais se quero algo (ou alguém) encontrar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s