Devocional

Uma oração que se estende

Rapaz de joelho em oração
 

Ah, a oração.
Esse tempo precioso de conversar, de clamar, de ouvir, de se aquietar. De estar junto de quem se ama, mesmo distante.
De estar seguro, em meio ao caos.
De se ver amado, em meio a dor.
De sentir a Eterna Presença, mesmo em meio ao isolamento.

Neste tempo, na oração há tanta gratidão!
Pelos milhares que já foram curados,
Por todos que estão mobilizados,
Tantos envolvidos para que os doentes recebam cuidado,
Pelos governantes que estão agindo, muito já foi realizado, hospitais de campanha já levantados,
Por aqueles (inclusive empresas) que estão indo de encontro aos mais necessitados,
Por aqueles que de dia e noite têm estudado, buscando encontrar uma vacina, melhores resultados.

Neste tempo, nasce sim uma nova oração.
Percebo que as ansiedades lançadas sobre Ele mudaram.
Que as preocupações que ocupavam a mente se provaram pequenas.
Que os motivos das orações se tornaram outros.


A oração se estendeu.
Foi além de mim e dos meus.
Se tornou num grande abraço,
Que tenta alcançar cada um, a todos,
Num ato simples (e tão poderoso) de amor.

Nesta oração,
Peço pelas autoridades, que tenham discernimento para que tomem as melhores medidas de prevenção e socorro. Que haja competência, entendimento entre todos, sempre em vista do que é melhor para aqueles a quem representam: o povo.

Peço pelos médicos, enfermeiros e todos os profissionais da área da saúde. Eles precisam estar bem (fisicamente, mentalmente e emocionalmente), para que possam continuar cumprindo essa missão tão bela, que é a de cuidar do outro. Que haja sabedoria, energia, força. Que eles tenham os recursos, equipamentos e tudo o que for necessário para cumprirem com suas funções. Que eles possam sentir paz e confiar que os seus, em casa e longe, também estão sendo cuidados por Deus.

Peço por todos os envolvidos na pesquisa e estudo da doença. Que as suas forças sejam renovadas, que suas mentes sejam esclarecidas.

Peço por todos aqueles que estão infectados, muitos em estado grave nos hospitais. Que possam receber dignamente o tratamento de que precisam. Que eles tenham esperança de serem curados. Que suas famílias, angustiadas por não poderem estar junto, tenham a paz de saber que Deus está lá na UTI com seu ente querido. Peço, também, por aqueles que são acometidos por outras doenças, e correm mais riscos em meio à pandemia. Peço por todo o sistema de saúde, que não haja colapso. 

Peço por todos os que estão são no corpo, mas aflitos no espírito. Que o coração seja protegido contra toda ansiedade, medo e desespero. Que olhem para além dos dados e previsões humanas. Que tenham fé, esperança e confiança em Deus, a quem pertence cada vida. Peço por aqueles que sofrem transtornos de ansiedade, pânico, depressão – em momentos como esse, as crises tendem a intensificar. Que possam receber a ajuda e cuidado que necessitam.

Peço pelas pessoas que estão sofrendo de ausência – uma dor do coração. Que não podem estar junto fisicamente de seus familiares e amigos. Peço pelas famílias que não tem se sentado à mesa nos almoços de domingo, avós que não tem abraçado seus netos, namorados apaixonados que não tem se encontrado, amigos que não tem se reunido, cristãos que não tem participado da comunhão juntos. Que eles possam encontrar na tecnologia um alento pra saudade. Que possam se animar mutuamente e cuidar um do outro à distância. Que possam ter fé de que logo tudo isso passará e haverá ainda muito mais motivos para celebrar a vida. Peço por aqueles que precisam continuar indo e vindo. 

Peço pelas crianças que em sua inocência tem agradecido a Deus por terem mais tempo com a mamãe e o papai. Que os traumas desse tempo sejam curados. Peço pelos mais velhos, geralmente teimosos, que não aceitam bem as restrições. Peço por aqueles mais velhos que não tem ninguém para olhar por eles. 

Peço pelas gestantes. Uma gravidez já tem uma carga natural de ansiedade e cuidados. Então, posso imaginar a carga de emoções que estão vivenciando no momento. Que as futuras mamães e papais possam ver o cuidado especial de Deus com essa pessoinha que ainda está no ventre. Que possam se alegrar pelo dom de gestar uma vida, mesmo em meio a um cenário de incertezas.

Peço pelas pessoas que em casa não estão protegidas. São muitos os casos de violência doméstica, abuso infantil, brigas e guerras dentro de um ambiente que deveria ser de segurança. Peço misericórdia e livramento para cada uma delas.  

Peço pelos mais vulneráveis. Pessoas que estão nas ruas, que estão vivendo em situações desumanas, de fome, miséria, que já viviam em isolamento social. Peço pelas famílias que já viviam com tão pouco, famílias que já viviam sem acesso a uma água com sabão. Sabemos que um caos na situação econômica do país irá afetá-los ainda mais. Peço que eles recebam socorro, olhar atento e cuidado. Do governo e políticas públicas? Sim. Mas também sei que a resposta dessa oração somos nós mesmos, aqueles que têm mais condições e podem sim ajudar. Peço pelas muitas instituições sérias envolvidas, que estão se movimentando ainda mais neste momento. Que onde houver necessidade, haja solidariedade. Que minha oração também seja a da disposição, envolvimento e ação.

Peço por todos que já estão sendo impactados financeiramente, e ainda serão. Sei que é um ciclo complexo nossa economia, onde todas as partes estão entrelaçadas. Mas também sei como os interesses pessoais se sobrepõem, como há egoísmo no coração dos homens, ganância por cada vez mais. Peço que haja discernimento e inteligência, que haja criatividade para buscar soluções, que haja trabalho mútuo, que haja solidariedade. E nessa busca por soluções, a vida (mesmo uma única vida) sempre seja prezada como o que há de mais importante. 

Peço por todos nós. Que possamos ver atos bondade, atos de humanidade, atos de esperança. Que sejamos nós os agentes desses atos.

Que seja um tempo de aprendizado e crescimento. Que seja um tempo para entendermos o que tanto precisa ser mudado aqui dentro de nós, um tempo para resgatar valores. Um tempo para desacelerar. Um tempo para realinhar nosso caminho.

Que seja um tempo para reconciliação com Deus. Um tempo para conhecê-lo, buscar sua vontade, viver seu amor e encontrar o que há de mais valioso neste mundo (e no outro): Ele mesmo!

Neste tempo, de fato, a oração mudou (e ficou mais longa).
Mas o Deus a quem oro é o mesmo – ontem, hoje e eternamente. E confiante nEle, em sua Sabedoria, Soberania e Amor,
Digo AMÉM.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s