Poesia

O incontrolável

Folhas ao vento

Por que sofrer tentando controlar
O que está fora
Do alcance,
Tão distante,
Quando a todo instante,
Surge o inesperado,
O inevitável,
O que é incontrolável?

Afinal, seria mesmo possível controlar
Esse emaranhado
De caminhos,
Curvas,
Rotas confusas,
O destino,
A próxima parada,
Se haverá saída?

Como querer controlar
Se haverá sol,
Chuva,
Brisa,
Vento,
Bom tempo,
Como controlar
O tempo?

Esse tempo
Destemido,
Que vai indo,
Que já foi,
Que não enrola,
Que não volta,
Que escapa,
Que nem chega?

Como querer controlar
O sentimento que surge,
Envolve,
Esse mistério,
Por quem se apaixona,
Se também será amado,
Se será eterno,
Se será mesmo amor?

Como querer controlar
O desencontro,
Se haverá outra chance,
Quem vai partir,
Se um dia voltará,
A despedida,
O desenrolar da vida,
O suspiro final?

Ah, quanta inocência,
Que ilusão,
De algum dia achar,
Considerar,
Que tanta coisa,
Que tanta situação,
Por mais simples que pareça,
Poderia controlar.

(publicado em 2017 e atualizado em 2022)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s