Devocional

“Não tenha medo!”

Criança segura a mão do pai e ouve: Não tenha medo!
 

“Não tenha medo” – Ele me disse.
E como se eu ainda estivesse a duvidar, Ele me mostrou.

Vi uma imensidão e nela, o vazio, a escuridão.
“Não tenha medo” – Sua voz soou, e obediente a luz raiou.

Vi um povo à beira mar e logo atrás, o inimigo a se aproximar.
“Moisés, não tenha medo”. O povo confiante marchou e o mar atravessou.

Vi, ainda, uma jovem da vida, pela sociedade, desprezada.
“Raabe, não tenha medo”. Fita escarlate na janela pendurou e sua casa não se abalou.

Vi também um menino, com as ofensas indignado.
“Davi, não tenha medo”. Funda e pedrinhas nas mãos, lutou e o gigante derrotou.

E assim, pacientemente, Ele continuou a me mostrar.
Reinos, tempos, povos. Sua forte mão sempre firme a segurar, seu amor constante a guiar.

Mas para nenhuma dúvida restar, para uma colina me levou.
Ali, entre 2 ladrões culpados, no alto do calvário vi Jesus, inocente, o Filho Amado.

Pendurado num madeiro, Cristo foi ferido pelos meus pecados, 
A dívida com o Pai pagou, sua vida em sacrifício derramou.

Ao ouvir Seu último suspiro, toda terra escureceu. Mas antes que eu pudesse me esconder,
Ele segredou: Espere um pouco. Você irá se surpreender!”

Na manhã de domingo, com um sorriso brincalhão, o sepulcro vazio Ele me mostrou
No jardim caminhava Jesus, Ele ressuscitou!

“O medo não faz mais sentido” – Ele me sussurrou.
“Veja! A morte foi vencida, uma nova vida Eu te dou”.

Sua voz meu coração ouviu, Sua mão estendida segurei.
Confiando em Sua graça, agora sei que em Sua companhia nunca mais haverá algo a temer.

Devocional

Uma oração pelos passarinhos

Criança segura passarinho em oração
 

Papai, há alguns por aqui que estão tão feridos, magoados e desesperançados. Outros que estão tão aflitos, atribulados e angustiados…

Todos eles são como passarinhos: pequenos e frágeis.

Eles sentem que suas asas não aguentam mais, que o perigo é iminente, que a queda é para a morte. Eles se sentem presos em seus problemas e dores, em gaiolas sem portas. Eles não sabem como escapar nem para onde irem. Em vez de cantarem, eles gemem. Em vez de voarem, eles sangram…

Mas eu sei que o Senhor é Aquele que cuida dos passarinhos. Pardais, andorinhas, cotovias. Nada acontece-lhes sem que Tu vejas, sem que Tu percebas.

Por isso, com confiança, eu clamo por esses Seus outros passarinhos!

Confesso que eu até os abraço, mas logo solto.
Mas confio que Seu abraço pode segurá-los firmemente e não soltar nenhum.

Confesso que eu até lhes digo palavras de ânimo, mas logo me calo.
Mas confio na Tua voz suave e verdadeira, que conforta e nunca silencia.

Confesso que me preocupo com eles, mas que pouco (quase nada) faço.
Mas confio em Ti, que se importa com cada um e tudo pode fazer.

Confesso que eu os amo, mas meu amor é fraco.
Mas confio no Teu amor, que é profundo, imutável e provado.

Confesso que desejo vê-los curados, livres e voando alto, mas minha fé é pequena. Mas confio em Ti, que faz além do que pensamos ou imaginamos.

E assim, crendo que és Aquele que olha por cada passarinho, entrego estes em Tuas mãos.

Com amor e esperança, Amém.