Poesia

O que adianta?

O que adianta a chuva, se as suas gotas refrescantes são evitadas?
O que adianta os sonhos, se tão pouco é feito para realizá-los?
O que adianta dizer que está arrependido, se as atitudes continuam as mesmas?
O que adianta as flores, se seu perfume não extrai o sorriso?

O que adianta a indignação, se nenhuma voz é levantada?
O que adianta a pressa, se o tempo tem vontade própria?
O que adianta os portões abertos, se há medo do que pode
ser encontrado lá fora?

E o que adianta as palavras, se os mais belos sentimentos são silenciados, a todo o momento?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s