Poesia

Alegrias Esquecidas

Tantas coisas que adorava fazer,
Mas há tanto tempo que não faz.

Às vezes,
Diz que é culpa do tal tempo que não para.
Outras vezes,
Diz que a culpa é sua por não saber parar o tempo.
 
Com o tempo,
Não sabe mais da emoção
Que era pular corda,
Brincar na chuva,
Ou pega ladrão.


Com o tempo,
Nem se lembra mais do prazer que sentia
Ao escrever versos cheios de amor,
Ver desenhos nas nuvens,
Ou compor uma melodia.


Com o tempo,
Também esqueceu-se do encanto
De contar estrelas,
De contar histórias,
De contar figurinhas.

Com o tempo,
Já não sabe mais como é bom o mistério
De andar sem rumo,
Esconder-se sem pressa de ser achado,
Ou sentar-se tranquilo à espera do encontro.

Quantas coisas que adorava fazer,
Mas há muito tempo não faz.
Alegrias que deixou para trás
Em busca de algo que é incapaz
De fazer seu coração aquecer…

*Post inspirado nesse outro texto meu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s